quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

O Corvo e a Raposa


A lebre e a tartaruga


Um dia, uma lebre se gabava de sua fantástica velocidade:
- Ninguém corre mais depressa do que eu! Sou mais veloz do que o vento! Desafio qualquer animal a correr comigo!
Ninguém se dispunha a aceitar, quando a tartaruga disse:
- Eu topo.
Todos riram, principalmente a lebre:
- Você espera vencer-me?
- Vamos ver...
Combinaram que correriam ao redor do bosque, até voltarem ao ponto de partida.
Dado o sinal, a lebre estava tão distante, que resolveu descansar na relva macia. E dormiu. Por ela passou a tartaruga, lentamente. E lentamente chegou ao final, antes da lebre.
"Paciência vale mais do que pressa”.

Adaptação de Guilherme Figueiredo. Fábulas de Esopo.
Rio de Janeiro, Ediouro, s/d.



Interpretação de texto


O Corvo e a Raposa


O senhor Corvo estava empoleirado num galho de árvore, com um pedaço de queijo no bico. Comadre Raposa aproximou-se, atraída pelo cheiro. E cumprimentou alegremente o Corvo:
- Bom dia, Mestre Corvo! Como você está bonito! Acho que nunca vi ave mais bela. Francamente, se a sua voz é tão formosa como a sua plumagem, você é o rei dos pássaros.
Ouvindo esses elogios, o Corvo quase estourou de satisfação. E querendo mostrar que nem mesmo uma bela voz lhe faltava, abriu o bico para cantar. O queijo caiu e mais que depressa a raposa apanhou-o. Antes de ir saborear o petisco, disse:
- Caro compadre, aprenda que todo bajulador vive à custa de quem o escuta. Acho que esta lição vale bem um pedaço de queijo.

Hans Gartner e Lisbeth Zwerger.
12 fábulas de Esopo, São Paulo, Ática, 1994.




Nos textos que você leu, os personagens são animais. São histórias diferentes, mas que apresentam pontos em comum.
01.    As histórias que você leu, são fábulas.

X


X

 
Marque, com x, as afirmativas que caracterizam este tipo de texto.
(    )           Os animais pensam, falam e agem como seres humanos.
(    )           Todos os fatos são reais.
(    )           Este tipo de texto traz um ensinamento que se refere ao nosso dia-a-dia.
(    )           Os animais são utilizados como personagens, porque os seres humanos não costumam ter as atitudes dos animais que aparecem nas fábulas.

02.    Escreva o significado da palavra sublinhada, de acordo com o texto. Se necessário, consulte o dicionário.

a)     A raposa comeu o petisco.

Resposta: comida saborosa – tira gosto.

b)     Bajular o corvo foi uma estratégia da raposa.

Resposta: adular / puxar o saco.

03.    Sobre a primeira história, qual a intenção da raposa ao elogiar o corvo?

Resposta: A raposa queria que o corvo se distraísse e soltasse o queijo do bico, para que ela pudesse pegá-lo e comê-lo.

04.    A raposa conseguiu o que queria.

Marque, com x, a causa do fato acima.

(    )           O corvo não estava com fome, por isso largou o queijo.
(    )           O corvo ficou com dó da raposa, que estava faminta.
(    )          
x
 
O corvo, preocupado em aparecer para raposa, esqueceu do queijo.

identificação do sentido de uma expressão

05.    Na segunda história, a lebre ficava se elogiando para provar que era melhor.

Retire do texto a palavra que apresenta o mesmo significado da expressão sublinhada acima.

Resposta: gabava


01.    Leia:
Caixa de texto: “Todos riram, principalmente a lebre.” 



Escreva o motivo que levou os animais da floresta a terem esta atitude.

Resposta: A tartaruga é muito lenta, e os animais achavam que ela jamais poderia ganhar a corrida.

comportamentos característicos dos seres humanos

02.    Complete o quadro abaixo, indicando um comportamento diferente da raposa e da lebre, que são características dos seres humanos.

Animal

Comportamento

Lebre

Resposta: Ficou se gabando, achando que era melhor.
Raposa
Resposta: A raposa foi astuta.

identificação moral

03.    Agora, escreva a lição que cada fábula quis transmitir aos leitores.


Resposta:

- O Corvo e a Raposa: “Devemos ter confiança em nós mesmos”, “Não é preciso aparecer para ninguém”. “Cuidado com as pessoas que elogiam demais.”  

- A Lebre e a Tartaruga: “O importante é competir”, “Devagar e sempre”, “Devemos ser persistentes”.





Nenhum comentário:

Postar um comentário